MEU MUNDO AGRADECE SUA VISITA ,OBRIGADO !

quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

LEMBRANÇAS






















                  Você viu todas as minhas fantasias
                     fez todas se realizarem, algo que
                      ninguém mais tinha conseguido
                          achar uma forma de fazer

                      Eu guardei todas lembranças
                             uma a uma, desde o
                                       começo

               E eu sei que eu nunca amarei dessa
                              forma novamente

                                      Eu sei!

                Então eu continuo persistindo, antes
                           que o bom se acabe...

                                     Persisto!

                    Você sabe que esse amor tolo
                              amanhá se acabe

             Eu não vou lamentar se você for embora
                     eu me lembrarei de como foi.

                    Eu nunca amarei dessa forma
                                  novamente!
                           

domingo, 27 de dezembro de 2009

VESTIDO VERMELHO



















                                    Sem muita delonga, minha neguinha,
                            eu quero te dizer uma coisa!

             Não gosto muito quando você pinta sua boca
                          maravilhosa de vermelho

                    Embriaga-me com este seu perfume
                                       alucinante

              Coloca este seu vestido vermelho deixando
                      a mostra toda sua sensualidade

             Joga seu cabelo para trás, me dá um beijinho
                          de despedida e sai por ai

            Linda, maravilhosa, com todos seus encantos
                             sem hora pra voltar

                Eu juro: que fico sem o chão, não paro
                     de olhar o relógio, o telefone
                                 a porta da rua

                E fico imaginando besteira com o
                              coração na mão

               E uma agonia sem tamanho no peito afeito
                contrafeito... malsatisfeito... sem jeito
                                o despeito!!!

                      Mas  você não tem dó de mim
                                    fazer o quê!

                                                                                               Tõe roberto

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

AMORES ENCARCERADOS

                                                                                       

                               Eu, minha neguinha, preciso dar um
                                          tempo pra minha vida.

                               Tô precisando olhar-me no espelho e
                                             dizer o meu nome

                                         Lembrar quem eu sou 

                                  Lembrar que um dia já tive asas 

                               E sobrevoava  a imensidão da minha
                                              liberdade sem fim
                                   do meu querer sem fronteiras
                                      do meu ser sem barreiras

                            Vou sair por aquela porta e vou acelerar 
                                              o meu coração
                                    tirar os pesos da minha alma 

                              Calçar os meus sapatos de plumas
                                                e vou por ai 

                          Á procura de algo que todo mundo quer  
                                       mas não sabe o que é 
                           talvez o tempo perdido... aquele que 
                                            não volta mais 

                       Ou apenas uma brisa no rosto, na manha
                                            que se anuncia... 

                  No arrebol avermelhado do horizonte longínquo

                              Que queima no fundo dos meus
                                            olhos tímidos
                                                                                                   
                                                                                             Tõe roberto
                                                      

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

HOUVE UM TEMPO...







































                                             Houve um tempo...
                                          
                         Houve um tempo, minha neguinha, em que
                             eu olhava os seus olhos e os confundia
                                               com as estrelas.

                           Ouvia a sua voz e pensava no pássaro
                                                da felicidade

                                  Pronunciava o seu nome e me
                                           aproximava de deus.

                                              Houve um tempo...

                            Em que você morava no meu coração
                                  e, juntos, criávamos borboletas,
                                           beija-flores e arco-íris.

                            E os jardins da babilônia, eram tudo o
                                             que eu enxergava...

                              Com você, se banhando nas suas
                                              águas cristalinas.

                                              Houve um tempo...

                              Em que eu, você, nós, éramos felizes
                                    em que eu e você éramos nós

                                              Houve um tempo...

                                           Há muito tempo atrás!
                                                     que se foi.

                                       Escorreu lentamente de nós,
                                            e se esvaiu no tempo
                                                    inexorável!

                                           Mas houve um tempo...
                                                                                                 tõe roberto

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

PELO RESTO DE NOSSAS VIDAS!



                                                            Ambos reconhecemos 
                                                       Que aceitamos um ao outro 
                                                         desde a primeira vez, até
                                                          o modo como está hoje

                                                    Fiquei abalado com seu espirito
                                                           fiquei cego com sua luz

                                                 E o mundo que eu via desapareceu
                                                    sem deixar vestigio, substituido
                                                         por seus olhos e o sorriso
                                                                   em seu rosto

                                                      Eu não vou me afastar, pois
                                                               você pode sumir...

                                                  Fui enfeitiçado por seu coração
                                                     e senti que você estava aqui
                                                         como se fosse um raio
                                                              você não esta só

                                                          Por toda a minha vida
                                                   estaremos juntos como marido
                                                                     e mulher...

                                                     Pelo resto de nossas vidas!

                                           Leve-me ao paraiso, leve-me esta noite
                                                       não há nada que palavras
                                                                 possam dizer.
                                                          
                                                                                                                     B.G.
                                                                                                       

domingo, 13 de dezembro de 2009

SAUDADE DE VOCÊ!


















                    Ontém, minha neguinha- de longe,
                              vi você caminhando!

                 A brisa mansa, seus cabelos... uma
                        luminosidade extravagante
                                    a sua volta.

               Ao fundo, infinito, o verde da natureza
                       e seu horizonte interminavel.

                                   Uma gaivota...
          
                                   Um passáro...

                                 Uma ansiedade...

                            O coração atrapalhado

                                       A tristeza...

                                     Um remorso...

                        E uma saudade infinita de você!

                                                                                          Tôe roberto

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

"IRIS"



                                    Eu desistiria da eternidade
                                             para tocar você
                                  pois sei que de alguma forma
                                            você me percebe

                                   Você é o mais perto do céu
                                         que eu posso chegar
                                           e não quero voltar
                                            para casa agora...

                                     O único gosto que sinto
                                         é o deste momento
                                e tudo que tenho para respirar
                                                é seu amor

                                       Por que cedo ou tarde
                                          isto pode acabar
                                               hoje a noite
                                           não te deixarei ir...

                                  Não quero que o mundo me
                                       veja porque acho que
                                           não entenderian

                                     Tudo foi feito de forma
                                               muito frágil...

                                   Só quero que você saiba
                                              quem eu sou...
                                                                                        GOO GOO DOLLS

sábado, 5 de dezembro de 2009

ESTA É A HORA!


























                                  Aqui estavamos
                            em uma sala estranha
                                 de pê, no escuro

                     Onde seus olhos não me vêem
                            tenho que seguir você
                     ainda que você não quisesse

               Mas isso não me impede de amá-la
                           não posso ficar longe
                              pondo toda culpa
                                   nas noites!

                      Ouvindo canções de amor
                         canções que vão direto
                                   ao coração

            Está é a hora, porta afora, agora pegarei
                o amanhá e o colocarei a seus pés
                   e nós dois fugiremos da tristeza
                    do mundo, dos trovões e trevas,
                               da fome e da dor.

                   Recordarei bem o sino que toca
                                     seu nome.

                            Nunca haverá outro!

                                                                              B.G.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

NÃO HÁ AMANHÁ























                                                


                              Não sei como aconteceu
                                       não sei explicar
                                   no que ela pensava

                    A velha mãe natureza uniu nós dois
                            o modo como me tocou
                             eu disse que a amava
                                    tentei beijá-la

               Mas todo sonho se desfaz sem nenhum
                aviso prévio, exceto a manhá seguinte
                          você volta atrás de mais!

              Champanhe e rosas, café da manhá na
                     cama, envolvidos um no outro e
                               com a cabeça no ar

                             Não há mais ninguem
                                  não há amanhá

               Bêbados de desejo,prazeres eróticos
                  cedo ou tarde ela lhe dá boa noite!
                       meia noite, morrer nós braços
                                   de um amante

                    Bem abraçados, fecho os olhos,
                       e ela se foi é sempre assim
                               cidade pequena o
                                      dia some!

                                 Não há amanhá
                                                                        B.G.

domingo, 29 de novembro de 2009

DIVÃ - SOBRE ONTEM Á NOITE


































                                       Mas não é assim
                             Você é a presa, algo em mim,
                                 me empurra, me sugere
                                   que deve ser assim.

                         Sinto que deve pagar o seu tributo
                               a mim, seu deus supremo

                      Devo fazê-la sofrer na carne a minha
                          dor o meu desespero, meu ato
                                deverá se concretizar.

                          Preciso apenas de um canto,um 
                           canto fino que invada o templo

                    Como navalha, me dilacere a vontade
                          e empurre a mão que empunha 
                                           a adaga              

                     O sonho se manchará de vermelho 
                          e eu não terei mais medo dos
                                       meus gestos 

                    Me sentirei mais profano, menos ético, 
                        mais destemido,menos covarde;
                              me sentirei mais poeta.

                  Porque o caminho da lâmina escreverá
                    o poema que procuro a tanto tempo
                                   nos meus sonhos

               Que agora escrevi, que escrevi como uma
                     sentença, como execução sumária,
                         sem julgamento, sem defesa,
                           sem jornal para contar.

                 Isto tudo eu sonhei sobre ontem á noite
                       e fiquei imaginando, que loucura!
                                  você nem estava lá 

                                                                                                 tõe roberto

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

SENTIMENTOS


         Só uma coisa , minha neguinha, me entristece!
                 ser um leigo nos assuntos do amor

             Eu só queria olhar nos teus olhos e dizer
                             você é o máximo!

               Linda, generosa, maravilhosa... a voz
                             do meu coração!

                                  Mas não!

              Nem uma mensagem, nem um recado,
                          nem um sinal de vida!

                             Nem um arrepio!

           E, aos poucos, você vai escorrendo pelos
                          vãos dos meus dedos.

                  E eu continuo na idade da pedra
                              dos sentimentos

        Sentado sobre a estupidez da minha educação
                            em relação ao amor.

                   Morrendo de medo de te perder!
                                                       
                                                                                tõe roberto

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

NÃO SABERIA COMO!























               Estaria em apuros se você me deixasse
                       não saberia aonde procurar
                                por esse amor

                 Eu simplesmente não saberia como!

           Ô minha neguinha, sou um refém desse amor
                quando eu preciso, bem na hora você
                           sempre esta presente

                Você me domina, eu tento me libertar
                         ninguem pode me ajudar

                             Ô minha neguinha!

                       Me diga o que eu vou fazer
                           me sinto fora de mim
                             não sei pra onde ir.
                    

domingo, 15 de novembro de 2009

DESEJO DE MENINA





















                         Meus olhos te viram triste olhando
                         pro infinito

                         Tentando ouvir o som do
                          próprio grito

                         E o tempo que ainda me resta só
                         quis te levar pra festa

                         Você me amou de um jeito
                          tão aflito

                         Que eu queria poder te dizer
                         cem palavras

                          Eu queria poder te cantar
                          cem canções

                          Eu queria viver morrendo
                          em tua teia

                          Seu sangue correndo em
                          minha veia

                          Seu cheiro morando em meus
                          pulmões

                          Cada dia que passo sem sua
                           presença

                          Sou um presidiário cumprindo
                          sentença

                          Sou um velho diário perdido
                          na areia

                          Esperando que você me leia

                          Sou pista vazia esperando
                          aviões...

                                                                                Esperando aviões 

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

ME PERDOE


                Sem menos despedir
           pedia pra que esse dia não
                         acabasse...

        Sem que meu olhar percebesse
                perdi você sem brigar

              Sem ao menos explicar
            perdi você em algum lugar
               talvez pelo seu medo
                         de amar...

            Eu, pensei que nunca iria te
                perder sem saber que
                       nunca a tive...

           Tudo me faz lembrar de você

              Me perdoe se não soube
                           te amar...
                           

sábado, 7 de novembro de 2009

QUE SAUDADE É ESSA!



























                 Que saudade é essa
          que faz com que eu me perca
                    em mim mesmo

                 Que saudade é essa
             que atravessa o peito e me
                    deixa do avesso

                 Que saudade é essa
             que me deixa em lágrimas
                    na sua ausência

                 Que saudade é essa
           que desfaz todos os nossos
                         segredos

                 Que saudade é essa
       que não traz o meu anjo de volta
             pra que faça com que eu
                     volte a viver...

terça-feira, 3 de novembro de 2009

QUE OLHOS VOCÊ TEM!



          Meu deus, minha neguinha,
               que olhos você tem!

                    IMPOSSIVEL
               Não sonhar com eles!
           Não fazer planos por eles!
               Não cantar por eles!
          Não encher a cara por eles!
           
                    IMPOSSIVEL
          Não pegar a arma e matar
                        por eles!
          E depois se matar por eles!
          Num ataque de desespero!
                     e ansiedade!
                                                       tôe roberto

My Playlist


Music
Related Posts with Thumbnails